Dieta vegetariana para criança: como uma dieta sem carne afeta a saúde dos pequenos?

0
467
Dieta vegetariana para crianças

Veja como as crianças podem se beneficiar de uma dieta vegetariana e o que não pode faltar.

O estilo de vida vegetariano se popularizou bastante nos últimos anos entre os brasileiros. Esse tipo de alimentação se estendeu às crianças, que passaram a adotar uma alimentação sem carne.

É bastante comum casos em que os pequenos não aceitam carne, por causa do gosto ou porque não querem machucar os animais e ver bebês que recusam esse tipo de proteína. Mas não se preocupe, a dieta livre de carne pode ser adaptada para todas as fases da vida, mesmo na infância.

Mas fazer o acompanhamento com os profissionais necessários, como o pediatra e o nutricionista, é uma prática importante para orientar a alimentação da criança da forma correta. Na alimentação vegetariana, é preciso atenção na escolha dos alimentos e comprar açaí, soja, tofu, lentilha, grão-de-bico, couve, acelga, ervilha e outros itens para uma dieta rica e diversificada.

O que não pode faltar na dieta vegetariana infantil?

No Brasil, o Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de 2 Anos lança orientações para a alimentação de crianças vegetarianas. E uma das primeiras recomendações é direcionada para todos os pequenos, independentemente de sua dieta: até os seis meses permanece a amamentação exclusiva. Além disso, a amamentação deve durar até os dois anos.

A introdução alimentar com alimentos ricos em vitaminas e minerais deve começar quando o bebê completar seis meses e apresentar sinais de que pode iniciar essa nova fase.

Nesse tipo de alimentação, para que o ferro dos vegetais seja absorvido pelo organismo, a criança terá que ingerir alimentos ricos em vitamina C depois das refeições. Para ter um prato balanceado no almoço e jantar, é preciso incluir os seguintes itens:

  • um tipo de cereal ou tubérculo e raiz;
  • um alimento do grupo das leguminosas;
  • dois ou mais tipos de legumes e verduras, sendo pelo menos um vegetal de folha verde-escura e um legume colorido;
  • um tipo de fruta.

Um ponto importante que o guia traz é que os leites vegetais processados (de caixinha) de soja, coco, aveia, amêndoas e outros não podem ser usados para substituir o leite materno nos primeiros anos de vida. Eles só podem ser ingeridos depois dos dois anos. 

Outro ponto de atenção nesse tipo de alimentação é que os pais precisam fazer boas combinações de alimentos para garantir que a criança faça toda a absorção dos nutrientes e em quantidades necessárias para o desenvolvimento e crescimento.

Ter acompanhamento profissional é fundamental

Manter em dia as consultas com o pediatra, nutricionista ou nutrólogo é importante para fazer os ajustes que o corpo da criança precisa. Esses profissionais vão dar orientações aos pais sobre a dieta nutricional e para fazer a suplementação necessária para repor vitaminas e minerais.

Por exemplo, crianças que mantêm uma dieta livre de carne, precisam fazer a suplementação via oral da vitamina B12, que só é encontrada nos alimentos de origem vegetal. E embora a alimentação seja rica em ferro, é preciso fazer a reposição desse mineral, porque a forma encontrada nos alimentos de origem vegetal são menos absorvidos pelo organismo.

Outro ponto de atenção é evitar o consumo de alimentos de origem vegetal industrializados, pois são ricos em sódio e gordura. Embora sejam práticos para a rotina do dia a dia, não são saudáveis. 

Benefícios da dieta vegetariana na infância

Podemos caracterizar a dieta vegetariana para crianças como pobre em gorduras e colesterol, mas rica em antioxidantes e fibras. Além disso, ela permite que o aporte energético seja atingido mais facilmente. Entre as vantagens, podemos citar:

  • diminuição do ingestão de doces;
  • menor consumo de gorduras totais e saturadas;
  • maior consumo de frutas, verduras e hortaliças.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui