Depressão na Pessoa Idosa

Os desafios e estratégias no diagnóstico da depressão em pessoas idosas, o seu impacto na saúde cognitiva, as intervenções comportamentais, a fragilidade nesses casos, abordagem farmacológica e como a tecnologia pode contribuir para suavizar a depressão

0
664

Depressão na Pessoa Idosa.

Profissionais de saúde podem participar de Seminário de Capacitação, gratuito e online, sobre Depressão na Pessoa Idosa

O seminário, uma iniciativa da Casa Ondina Lobo, em parceria com a USP e a UFMG, traz uma abordagem multidisciplinar sobre o assunto

Está é mais uma ação multiplicadora de um amplo Projeto que tem o objetivo de detectar sinais de fragilidade e depressão 60+

Os desafios e estratégias no diagnóstico da depressão em pessoas idosas, o seu impacto na saúde cognitiva, as intervenções comportamentais, a fragilidade nesses casos, abordagem farmacológica e como a tecnologia pode contribuir para suavizar a depressão. Essas são algumas das abordagens dos temas do Seminário de Capacitação gratuito e online: “Abordagem Multidisciplinar na Depressão da Pessoa Idosa”, destinado a Profissionais de saúde de Unidades Básicas de Saúde – UBS, de hospitais e de Instituições de Longa Permanência para Idosos – ILPIs, entre outros.

O seminário tem 3 módulos, 12 aulas online + 1 aula extra sobre suicídio em pessoas idosas (total de 4 horas), ministradas por médicos renomados como o psiquiatra Bernardo de Mattos Viana, Coordenador do Programa de Residência Médica em Psicogeriatria do HC-UFMG (Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais), chefe do Programa de Extensão em Psiquiatria e Psicologia do Idoso da UFMG e do Programa de Residência Médica em Psicogeriatria do HC-UFMG; o geriatra Antônio Barreto, Coordenador Geral do Ambulatório de Geriatria do Hospital das Clínicas; e o geriatra Edgar Nunes, Professor Titular do Departamento de Clínica Médica da UFMG, Consultor do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) na Área da Saúde do Idoso e Coordenador do Núcleo de Geriatria e Gerontologia da UFMG.

Depressão na Pessoa Idosa

Depressão na Pessoa Idosa.

Interessados devem acessar a Plataforma de Youtube da Capacitação. As aulas podem ser assistidas nos horários preferidos dos profissionais. Os certificados serão entregues aos que completarem o seminário até final desse mês de junho.

O seminário é um dos componentes relevantes da multiplicação do Projeto Plataforma de Apoio à Depressão 60+, inovador e inédito, que visa implantar sistema de avalição multidimensional, com ênfase na saúde mental, acompanhamento e monitoramento da pessoa idosa em situação de vulnerabilidade social.

Faz parte além do rastreio, o encaminhamento de quadros de depressão e o estabelecimento de um plano de cuidados multidisciplinar. Para que ocorra, o Projeto alia tecnologia com a capacitação das equipes assistenciais.

Depressão na Pessoa Idosa.

O projeto é uma iniciativa da Casa Ondina Lobo – terceira conquista com certificado FMID (Fundo Municipal do Idoso) -, com coordenação científica da Universidade de São Paulo – USP e da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG; com gestão e coordenação da equipe multidisciplinar da Ativa Longevidade; e com plataforma desenvolvida pela MedLogic.

O Seminário

Os participantes descobrirão estratégias de prevenção e promoção da saúde mental.

“Abordar a depressão na pessoa idosa é de extrema importância. A depressão mais grave tem uma prevalência de 5 a 11% da população geral e ocorre por volta dos 30 anos de idade. Um em cada 7 pacientes com episódios depressivos recorrentes morrem por suicídio – uma das principais causas de morte entre adultos jovens e de meia idade, além de idosos”, afirma o médico psiquiatra Bernardo Viana, integrante do Projeto Plataforma.
Segundo ele, as pessoas idosas podem apresentar mais sintomas depressivos do que pessoas jovens, mas muitas vezes não identificados ou diagnosticados. “Pessoas idosas são as que mais se suicidam, proporcionalmente.

Entretanto, poucas são as políticas públicas. Ao avaliar a depressão também se está avaliando o risco de suicídio”. Viana também informa que na depressão em pessoas idosas pode se observar mais a falta de vontade de fazer atividades do dia a dia, queixas de sintomas do corpo, diminuição de energia e de apetite.

Projeto já beneficia 540 pessoas idosas

Com início em agosto de 2022, o projeto Plataforma de Apoio à Saúde Mental 60+ emprega ferramentas científicas validadas e reconhecidas no Brasil e no exterior.

Possui uma equipe multidisciplinar — composta por profissionais das áreas de psicologia, gerontologia, educação física, fisioterapia, farmácia, fonoaudiologia, psiquiatria e geriatria — na formulação de um protocolo em parceria com o Serviço de Geriatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e do Núcleo de Geriatria e Gerontologia da UFMG.

Já foi realizado um piloto do Projeto com 70 pessoas idosas moradoras na Casa Ondina Lobo e, desde o início desse ano, a Plataforma já está em uso e disponibilizada gratuitamente para 57 profissionais de 11 ILPIs (localizadas na região metropolitana de São Paulo). Até o momento beneficiou um total de 540 pessoas idosas.

Arivaldo de Moraes Freitas, Gerente Administrativo da ILPI Irmã Alice, conta que participar de um projeto tão pioneiro é um grande desafio. Igualmente, uma oportunidade única de aprendizado para a equipe técnica. “O projeto nos ajuda a ter as informações de forma objetiva e organizada. Assim, oferecendo a quem utiliza a possibilidade de consultar rapidamente os dados. Estabelecer comparações, analisar de forma rápida e clara os indicadores e produzir uma informação precisa”.

Vinicius Cavalcante

Já Vinicius Cavalcante, Coordenador Assistencial do Lar Madre Regina, conta que sua equipe conseguiu identificar sinais de declínio cognitivo em idosos. Ou seja, aqueles que inicialmente julgavam estar plenamente conscientes e sem alterações significativas. Assim, “A utilização da tecnologia melhora a precisão e a eficiência das avaliações e enriquece a capacidade dos profissionais de saúde em oferecer um atendimento mais personalizado e contínuo”. Ele conta que o Projeto ajudou desde detecção precoce até o acompanhamento contínuo e a personalização do cuidado.

Isabella Berger

Isabella Berger, geriatra especializada em psicogeriatria do Projeto Plataforma, conta que no projeto “Conforme esperado, grande parte das pessoas idosas avaliadas são classificadas como frágeis, elas enfrentam um maior risco de eventos adversos de saúde, como quedas, hospitalizações, incapacidades funcionais e, infelizmente, até mesmo óbito”.

Dessa forma, segundo Isabella, o Projeto já está na sua etapa final. “Para os idosos identificados como de alto risco para depressão, realizamos telemonitoramento com a equipe para avaliar como poderíamos melhorar o tratamento de depressão para cada indivíduo. Ou seja,  utilizando os recursos disponíveis na ILPI e na rede pública”. Então, a médica explica que outro ganho notável do telemonitoramento é que, frequentemente, algumas mudanças de comportamento que podem ser atribuídas à depressão, quando investigadas mais a fundo, revelam-se sintomas de declínio cognitivo. “Isso requer uma investigação e tratamento adequados”, completa.

Nadir Francisco do Amaral

Nadir Francisco do Amaral, Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa na Cidade de São Paulo (gestão 23/25) diz que é de extrema importância que o FMID tenha projetos como esse. Assim “O sistema público precisa tomar ciência do que acontece com as pessoas idosas, que hoje somam 2 milhões e 100 mil na cidade de São Paulo. Quase 17% da população.

Portanto, parabenizo a Casa Ondina Lobo, em nome dos 30 conselheiros da cidade de SP, por trazer esse tema à discussão e por se tratar de um assunto com essa abrangência”, diz. E conclui: “A criação de uma Secretaria Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa poderia aglutinar essas informações e ser mais focada numa política pública que atinja o objetivo, que abrace o idoso”.

Seminário- Abordagem Multidisciplinar na Depressão da Pessoa Idosa.

Módulos

1: Conceitos da depressão em idosos: Diagnóstico, impacto cognitivo e intervenções comportamentais

Epidemiologia e depressão em pessoas idosas
Desafios e estratégias no diagnóstico de depressão
Impacto da depressão na saúde cognitiva
Ativação comportamental no manejo de sintomas depressivos

2: Complexidade do cuidado no contexto de fragilidade e depressão e necessidade de uma abordagem multidisciplinar

Fragilidade e depressão na pessoa idosa
Estratégias para abordagem de cuidado centrado na pessoa idosa
A importância do exercício físico para o corpo e a mente das pessoas idosas
Qual a relação entre depressão e fonoaudiologia?

3: Farmacologia, tecnologia e desafios futuros

Iniciação na abordagem farmacológica para depressão
Interação medicamentosa e efeitos adversos em medicamentos psicotrópicos: o que devo prestar atenção?
Desafios e perspectivas na assistência à depressão em pessoas idosas

Seminário no Youtube: Ond1lab 2: Saúde Mental 60+ – YouTube

Casa Ondina Lobo 

A saber, foi fundada em 1950, sendo uma instituição sem fins lucrativos de longa permanência para pessoas idosas. Criada por um grupo de amigos e familiares por orientação de sua patrona, Ondina Lobo (1885-1942). Sua missão é atender de forma integral, pessoas idosas sem recursos, de ambos os sexos.

A Plataforma Tecnológica de Apoio à Depressão 60+ é o terceiro projeto que a Casa Ondina coloca em prática que tem o apoio do FMID. Portanto, os dois demais projetos que já foram concluídos são. O Gastronômico 1.0, e o Projeto Emergencial – Medidas de Prevenção COVID.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa /conteudo@agenciagaudi.com.br
Fotos: 
Divulgação  / Bruna Laja
Edição: Redação Na Mídia

Então, não deixe de ler:Tenor Felipe Menegat realiza show em prol do RS

 

 

 

Crédito:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui