Confira como funciona a arquitetura urbana nas cidades inteligentes

0
137
arquitetura

Com o passar dos séculos, é possível perceber que a arquitetura urbana foi ganhando uma série de modificações importantes. Portanto, é essencial entender qual é o futuro desses elementos ditados pela lógica de cidades inteligentes.

O conceito de cidade não é tão novo assim, uma vez que há uma série de perspectivas que foram sendo construídas com o passar dos séculos que deram sustentação a um conceito de cidades nesse sentido.

Dessa forma, é possível pensar na elaboração de algumas atividades humanas que deram sustentação às primeiras sociedades, o que fez com que os grandes agrupamentos de pessoas começassem a existir.

Nesse contexto, o exemplo mais clássico para pensar nessas elaborações é, justamente, a partir da Mesopotâmia que, por conta de seus dois rios, gerou a possibilidade de cultivo naquela região.

Na verdade, esse termo significa “terra entre rios”, o que fez com que o rio Tigres e Eufrates conseguissem cumprir um papel fundamental na história das cidades de uma forma geral.

Esse exemplo deixa claro algumas inclinações importantes que fizeram com que as civilizações avançassem, mas há uma série de outros exemplos urbanos nesse sentido, o que deu origem, inclusive, a momentos históricos importantes.

As cidades-estados gregas, por exemplo, criaram dinâmicas bastante importantes, como o conceito de democracia e algumas guerras, como os conflitos dos espartanos e também a batalha de Tróia.

Todos esses elementos demonstram que a ideia de aglomerados urbanos são conceitos bastante antigos que foram ganhando elaborações diferentes com o passar dos anos, garantindo alguns padrões.

No entanto, a lógica moderna acabou se subordinando a outros aspectos organizativos de inovações tecnológicas que precisam ser percebidas, principalmente sob uma lógica de arquitetura e urbanismo.

As cidades e os avanços modernos

Diante da modernidade, as cidades passaram por algumas modificações severas em pouco tempo, o que modificou a organização das moradias, do trabalho e também da infraestrutura urbana de uma forma geral.

O surgimento da indústria e o avanço produtivo trouxe alguns contextos determinantes para que o consumo tivesse que ser viabilizado, criando grandes centros comerciais e outras dinâmicas de venda.

Esses impactos urbanos ajudaram a orientar crescimentos importantes de consumo dentro dos mais diversos setores, tornando a viabilidade de uma empresa de enfermagem domiciliar ainda maior.

Seja como for, talvez o maior exemplo de mudança moderna dentro das cidades foi o surgimento do carro, o que fez com que cenários urbanos tivessem que ter uma nova denominação ainda.

Tendo isso em vista, é possível entender que em menos de 100 anos as ruas passaram a ser asfaltadas e a infraestrutura de transporte passou de trens para rodovias de forma bastante acentuada.

Esse é um elemento que, inclusive, teve um impacto determinante no mercado, fazendo com que uma série de serviços surgissem, como é o caso do envelopamento de carros com propaganda.

Com base nisso, a ideia de arquitetura e urbanismo foi ganhando ainda mais fôlego, trazendo uma perspectiva moderna para as construções, como é o caso do MASP ou do teatro do Ibirapuera em São Paulo.

Seja como for, essas noções mais funcionais das cidades passaram a fazer parte de uma evolução que ganhou ainda mais desdobramentos a partir do surgimento do mundo digital como um todo.

Afinal de contas, é possível pensar no consumo digital em qualquer lugar hoje, onde uma pessoa pode encontrar o melhor selo mecânico Burgmann por causa das conexões criadas pelas infraestruturas de telefonia.

Saber que esses aspectos fazem parte de uma constatação moderna das cidades pode ajudar a entender que há muito que pode surgir a partir dessas dinâmicas, o que pode ser determinante.

O que é arquitetura e urbanismo?

Muito se fala das grandes arquiteturas históricas, como é o caso do Coliseu de Roma ou, até mesmo, o Taj Mahal, mas, de uma forma geral, esses são elementos que foram construídos sob uma lógica funcional e, também, estética.

As grandes catedrais católicas, com suas suntuosas colunas e afrescos banhados a ouro, por vezes, estão muito conectadas a um conceito de beleza que consegue se conectar com o divino.

Seja como for, esses são aspectos que estão direcionados a uma dinâmica de arquitetura, uma vez que há uma concepção estética e funcional de um ambiente que precisa ser construído dentro de algumas delimitações.

Nesse contexto, assim como uma aula de violão para crianças, a concepção arquitetônica, também, passa por uma lógica de percepção artística.

Entretanto, sua relação com o urbanismo tem a ver com a produção de projetos que consigam dialogar com todas as dinâmicas de um ambiente urbano: infraestrutura de transporte, funcionalidade de locais e arborização.

O papel do urbanista e do arquiteto, portanto, é entender quais são os métodos mais adequados para que haja uma percepção a respeito de uma localidade ou, até mesmo, de um conjunto de lugares.

Assim como um mecânico possui a expertise adequada para trocar um câmbio automatizado VW, esses profissionais sabem como criar uma lógica urbana otimizada.

Quais são os tipos de arquitetura?

Atualmente, há uma série de conteúdos sobre arquitetura no mundo digital, o que pode ajudar a compreender a respeito de alguns movimentos que podem fazer toda a diferença dentro desses contextos.

Diante disso, é imprescindível entender quais são os modelos de arquiteturas mais utilizados nesses contextos:

  • Minimalismo;
  • Clássica;
  • Ecológica;
  • Urbana;
  • Rústica.

Todos esses elementos podem fazer parte de alguma escolha importante quanto aos elementos de arquitetura.

O que faz um arquiteto?

Antes de qualquer coisa, um arquiteto, por vezes, pode acabar trazendo algumas confusões quanto às suas funções e a do engenheiro.

Nesse sentido, um está direcionado para os aspectos de uso e estéticos de um determinado lugar e o outro busca meios para viabilizar esses elementos de forma mais técnica.

Assim como um mecanismo pode possuir especializações, como é o caso de uma que trabalha com sistema de freio hidráulico, é indispensável que haja uma percepção a respeito dos arquitetos.

Uma vez que eles podem ser urbanista, de interiores, paisagista ou algumas outras denominações importantes.

Cada especialidade dessa vai lidar com algum aspectos específico dentro desses padrões, criando uma dinâmica bastante sólida a respeito do que o cliente está procurando.

O que é uma cidade inteligente?

Diante de todos esses avanços, é imprescindível entender que há um conceito que está modificando algumas perspectivas, sobretudo dentro de uma lógica de urbanismo.

Com o avanço das conexões e do meio 5G, está cada vez mais evidente as adaptações que as cidades possuem dentro de uma lógica inteligente.

Seja por meio da publicidade, onde a proximidade de uma companhia pode fazer com que haja uma segmentação de anúncio a respeito de um transporte e remoção de máquinas ou, até mesmo, dinâmicas de carros automáticos.

Esses são elementos que ainda estão começando a ser pensados dentro desses contextos, mas que já estão influenciando de forma definitiva a arquitetura de ambientes.

Diante disso tudo, há uma perspectiva que tem ganhado bastante destaque dentro dessas perspectivas, visando digitalizar uma série de aspectos que podem ser importantes.

Tecnologias digitais e urbanismo: considerações

A introdução da ideia de casas inteligentes onde um domos de ventilação pode ser automatizado assim como uma televisão pode ser determinante para a orientação de alguns aspectos.

De forma prática, esses elementos podem interagir com elementos de segurança, como chaves biométricas e outros pontos de conectividade que podem fazer com que haja uma compreensão em tempo real do que está acontecendo.

De uma maneira geral, essa integração das casas a uma lógica inteligente pode ser uma porta aberta para que haja uma conectividade entre todos os aspectos da cidade, facilitando elementos como compras, simplificações em estacionamento e outros fatores.

A busca por uma dinâmica digital dentro de uma lógica urbana potencializada pela conexão 5G é, de fato, um dos paradigmas que estão sendo formulados por uma estrutura urbana.

Esses são elementos que podem simplificar tarefas diárias e gerar uma integração ainda mais sólida a respeito das perspectivas de realidade aumentada que tem ganhado força com o passar dos anos.

Considerações finais

Os avanços das cidades dentro de um contexto histórico é, de fato, um dos pontos mais importantes para a compreensão da contemporaneidade, uma vez que esse é um modelo fundamental para a sociedade.

A criação de elementos inovadores, principalmente dentro de uma lógica moderna, pode auxiliar em todos esses aspectos de interações de uma forma geral.

Além disso, há alguns conceitos que estão começando a fazer parte de uma perspectiva de arquitetura que possuem uma influência grande no mundo digital, como é o caso das casas inteligentes.

Cada passo dado nesse sentido pode ser determinante para que haja uma consolidação de elementos que consigam se estruturas a partir de algumas dinâmicas atuais do mercado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui