Anúncio Na Mídia

Você sabia que lavar carnes e aves não é correto? É normal em nossa vida, compararmos lavagem com limpeza. Nós lavamos roupas, linhos, carros, pratos, e nós mesmos.

Então, é lógico que muitas pessoas acreditam que lavarem as carne e aves as tornarão mais seguras. Isto é verdade? Lavar carnes e aves os tornam mais seguros para comer?

A revisão de estudos de várias universidades relacionadas a lavar carne e aves indicam que não existe nenhum benefício. De fato, lavar carnes e aves pode permitir a passagem de bactérias para um outro produto pronto para comer. Mas sempre lembre, bactérias que estão presentes na superfície da carne ou aves serão destruídas pela cocção a uma temperatura de 74ºC.

As bactérias em sucos de carne e aves cruas podem ser levadas para outros alimentos, utensílios, e superfícies. Nós chamamos de contaminação cruzada. 

Você sabia que lavar carnes e aves não é correto?

Você sabia que lavar carnes e aves não é correto?

A lavagem das mãos depois de manipular carnes ou aves cruas ou seus pacotes (embalagem) é uma necessidade pois qualquer coisa que tocarmos após, pode haver a contaminação. Em outras palavras, você pode se tornar doente pegando um pedaço de fruta e comendo depois de manipular carnes ou aves cruas. A boa prática de lavar as mãos antes e depois de manipular alimentos crus como também quando usar o banheiro, trocar fraldas, atender uma pessoa doente, assoar seu nariz, espirrar e tossir, e depois de acariciar animais.

Lavar aves cruas, carne de boi, porco, cordeiro, ou carne de vitela antes de cozinhar não é recomendado. Alguns consumidores pensam que eles estão removendo bactérias da carne e as tornando mais seguras; porém, algumas bactérias presentes na superfície podem sofrer eliminação através da  cocção, isto é, com a temperatura  a 74 0 C.

A lavagem das carnes com água salgada se trata de uma preferência pessoal e não serve a nenhum propósito para segurança de alimentos.

Você sabia que lavar carnes e aves não é correto?

Você sabia que lavar carnes e aves não é correto?

Às vezes consumidores lavam ou imergem presunto, toucinho, ou carne suína salgada , porque pensam que reduzem o sódio ou o sal de um modo a permitir que estes produtos sejam comidos em uma dieta restrita em sódio. Porém, muito pouco sal é removido lavando, enxaguando, ou embebendo um produto de carne, além de não ser recomendado.

Bem, você deve estar pensando 

Mas e a mão do açougueiro? E a gosma do frango? 

Você pode ter certeza que a mão do açougueiro, por mais suja que esteja, tem menos microrganismos do que uma carne, não é a mão que contamina a carne mas sim a carne que contamina a mão. Ele deve lavar as mãos para cuidados higiênicos preservando a saúde dele e dos familiares

Com relação ao frango, não existe carne que é tão lavada do que um frango em uma granja, são chuveiros e tanques de água com grande teor de Cloro Quando você lava uma carne acontece o seguinte:

  • Você perde nutrientes, a carne vermelha fica esbranquiçada
  • Aumenta a umidade da carne facilitando a contaminação
  • A contaminação existente penetra mais
  • Espalha microrganismos contaminantes para a cozinha toda

Em resumo

Não lave carnes, muito menos despeje sobre elas água quente e muito menos vinagre ou
suco de limão

 

Você sabia que lavar carnes e aves não é correto?

 

Fotos: Divulgação / Arquivo Pessoal

Fonte: Divulgação

Assim, não deixe de ler: Sabonete em barra ou líquido, qual devemos usar?

 

Anúncio Na Mídia

Artigo anteriorJean Madeira no esporte e nos projetos sociais
Proximo artigoAlerj votou seus cinco deputados do processo de impeachment
Roberto Martins Figueiredo é Biomédico (no. 1003) e Conselheiro do CRBM (CRBM 1001-1). É uma das principais autoridades brasileiras em saúde pública e um dos maiores especialistas em higiene de alimentos. Especializado em Saúde Pública e em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas e em Engenharia da Qualidade pela Universidade de São Paulo (USP). Apresentou o quadro Dr. Bactéria, no Fantástico, Rede Globo. "Dr Bactéria no Hoje em Dia e no Tudo e Possível na Rede Record de TV e atualmente é contratado do Departamento de Jornalismo da Rede Record, programa Fala Brasil. . É diretor técnico da Microbiotécnica, Centro de Assessoria em Higiene e Saneamento Ambiental onde são realizadas pesquisas e análises de alimentos, utensílios e equipamentos, atendendo a indústrias de alimentos, cozinhas industriais e restaurantes. É instrutor em cursos de pós-graduação e Palestrante por Todo o Brasil. Consultor da Rádio Jovem Pan e possui 5 livros publicados

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here