Presidente Bolsonaro apresenta excelente evolução clínica. O presidente Jair Bolsonaro continua apresentando ótima evolução clínica, sem complicações cirúrgicas, segundo boletim divulgado hoje (26). Os médicos também retiraram a sonda vesical para que ele dessa forma, urine de forma espontânea.

Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia para retirada de cálculo na bexiga, na manhã de ontem (25), no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

O boletim, assinado por três médicos que acompanham o presidente, foi divulgado agora de manhã pela Secretaria Especial de Comunicação Social do Ministério das Comunicações.

Presidente Bolsonaro apresenta excelente evolução clínica

Presidente Bolsonaro apresenta excelente evolução clínica

Outrossim, esta é a quinta vez que o presidente é submetido a um processo cirúrgico nos últimos dois anos. 

As outras quatro, foram por causa da facada sofrida por ele durante a campanha eleitoral de 2018, na cidade de Juiz de Fora no estado de Minas Gerais.

Segundo a assessoria presidencial, há um motivo da escolha da marcação da cirurgia ter sido uma sexta-feira.

É justamente porque devido a evolução dos equipamentos, hoje é possível a retirada de cálculos com grande segurança e breve recuperação do paciente.

Portanto, Bolsonaro pode descansar em recuperação durante o fim de semana no hospital e voltar às atividades presidenciais em Brasília no começo da semana que vem.

Histórico

O presidente disse em 1º de setembro a apoiadores, que a pedra estava em sua bexiga desde 2015 e que era maior que um grão de feijão.

” É minha pedra de estimação, está comigo há 5 anos. Só vou tirar porque está, segundo meus médicos, ferindo minha bexiga”, afirmou Bolsonaro sorrindo conclusivamente.

Sobre cálculo renal:

 Conhecida vulgarmente por pedra no rim, é a presença no trato urinário de um cálculo formado a partir de sais minerais presentes na urina.

Os cálculos renais formam-se inicialmente,  no rim e são geralmente expelidos do corpo na urina. Os cálculos de pequena dimensão podem passar primeiramente, pelo trato urinário sem causar sintomas.

 No entanto, quando um cálculo cresce mais do que 5 mm pode causar o bloqueio da uretra, provocando do mesmo modo, dor intensa na parte inferior e posterior do abdómen

Fonte: Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro Edição: Graça Adjuto

Foto: Portal Roma News – Todos os direitos reservados

Leia também: Levantamento aponta 41% das pessoas estão lendo mais

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here