O que a quarentena ensinou sobre sexo? 5 coisas que a quarentena ensinou sobre sexo

Por conta do isolamento social, a forma de fazer sexo mudou para a maioria dos solteiros e se tornou algo que vai muito além do encontro físico. Com todos em casa, os aplicativos de relacionamento e a tecnologia se tornaram ainda mais relevantes neste momento. Logo, o período também ensinou muitas coisas sobre sexo.

O que a quarentena ensinou sobre sexo?

O que a quarentena ensinou sobre sexo?

Dessa forma, o Badoo, maior aplicativo de relacionamento do mundo, separou cinco desses aprendizados de sua comunidade. Então, confira:

1. Sexting

A prática de enviar mensagens de conteúdo sexual já era comum antes da quarentena, mas agora ganhou mais adeptos e vem instigando a criatividade das pessoas. Portanto, o sexting ensina o quanto as palavras podem estimular o prazer e criar intimidade entre pessoas.

Assim, neste período, o uso de Emojis com conotações sexuais também aumentou. Indicando preferências, vontades, bem como, desejos e reforçando a intenção da mensagem enviada. Esta prática é uma ótima forma de conhecer os desejos do parceiro. Isto é, entender suas limitações e estabelecer a confiança com alguém. O sexting pode ser um primeiro passo para entender se você quer ir além, com algo mais visual ou até em um date no futuro.

2. Sexo por vídeo

Bem mais intenso que o sexting, por ser visual e permitir uma interação em tempo real, muitas pessoas começaram a usar a chamada de vídeo para fazer sexo virtual e descobriram que é possível sentir prazer sem o ato da penetração.

Ao conversar olho no olho, é possível acompanhar as expressões de prazer e saber como cada um reage às suas atitudes. O vídeo ajuda a entender o limite do outro – e o seu também -, o que pode gerar mais intimidade e confiança, fazendo com que seja ainda mais prazeroso;

O que a quarentena ensinou sobre sexo?

3. Autoconhecimento é tudo

Não poder encontrar alguém para transar, fez com que muitas pessoas começassem a se conhecer mais para alcançar o prazer. Aprender a identificar o que dá ou não prazer, a conhecer o próprio corpo e suas zonas erógenas é muito empoderador.

Muitas pessoas vão sair da quarentena sabendo do que gostam para ter um sexo mais prazeroso. Ao se conhecer melhor, a pessoa se torna mais preparada para saber todos os seus limites, o que funciona ou não. E isso ajudará muito na hora de encontrar alguém para se relacionar no futuro.

4. Nudes e consentimento

Para tornar a quarentena mais picante, muitos também decidiram dar um passo e tanto, começando a trocar “nudes” (fotos sensuais e/ou de nudez). A prática já era comum antes do isolamento social, mas ganhou ainda mais força neste período.

Mas, quando o envio da “nude” é feito sem consentimento pode ser desconfortável para quem recebe o conteúdo. Portanto, para evitar esse tipo de inconveniente, o Badoo lançou a ferramenta “Detector de Privacidade”. Ou seja, ela que dá a opção da pessoa aceitar ou não o recebimento de fotos íntimas compartilhadas pelo aplicativo. Dessa forma, a foto ficará embaçada, e o usuário pode optar por aceitar ou não o que foi enviado.

Ao fazer isso, o usuário ainda pode escolher entre continuar a conversa, bloquear ou fazer uma denúncia. Afinal, respeito e consentimento é a base de qualquer relação.

O que a quarentena ensinou sobre sexo?

5. Conexões sinceras

Distantes fisicamente, os vínculos emocionais ganharam lugar de destaque na quarentena. O período tem sido favorável para aprofundar as relações com os crushes, saber mais seus gostos e preferências.

E são essas conexões sinceras que, certamente, ganharão mais força após este período. Relações saudáveis são construídas com confiança e cuidado mútuo, mesmo que a distância.

 

 

Fotos: Divulgação /Acervo Pessoal

Fonte: Jonas VCRP Brasil
Assessoria de Imprensa

Leia ainda: Programa global de acesso à vacina contra a Covid

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here