O novo disco de Beatriz Azevedo é um projeto autoral, que apresenta canções inéditas e participações de convidados como Moreno Veloso, Zélia Duncan e o ator Matheus Nachtergaele.

Doutora em Artes da Cena pela UNICAMP e Mestre em Literatura Comparada pela USP,Beatriz estudou música no Mannes College of Music, em Nova York, e dramaturgia na Sala Beckett, em Barcelona.

Seu livro Antropofagia Palimpsesto Selvagem (Cosac Naify), tem prefácio de Eduardo Viveiros de Castro e desenhos de Tunga.

Autora dos livros de poesia Idade da Pedra (Iluminuras) e Peripatético (Iluminuras), além de diversos textos teatrais, Beatriz Azevedo tem seu novo livro de poemas, Abracadabra, lançado em 2019 pelo Selo Demônio Negro.

O álbum A.G.O.R.A foi gravado nos estúdios da Biscoito Fino, no Rio de Janeiro, e reúne grandes músicos como Bem Gil (guitarra), Cristóvão Bastos (piano), Jaques Morelenbaum (Violoncelo), Jorge Helder (Contrabaixo), entre outros.

O disco traz ainda a participação internacional de Cyro Baptista, que gravou em Nova York diversos instrumentos recolhidos em suas turnês mundiais com Sting e Yo Yo Ma, entre outros.

“Diante do momento conturbado do país, senti a urgência do chamado da criação. Escrevi poemas e canções para colocar arte, poesia e beleza no mundo cada vez mais bruto e estúpido”, comenta Beatriz.

A.G.O.R.A completa a trilogia de álbuns lançados pela gravadora Biscoito Fino, que começou com ALEGRIA (2008) e seguiu com ANTROPOPHAGIA (2014).

Não por acaso, todos os títulos dos álbuns começam e terminam com a letra “a”: Beatriz Azevedo é poeta e em cada trabalho revela cuidado extremo com as palavras.

Ao lado de Beatriz, o premiado ator Matheus Nachtergaele aparece pela primeira vez cantando em um disco, interpretando em francês a composição de sua amiga, com quem já dividiu os palcos.

Moreno Veloso e Zélia Duncan, além de parceiros de Beatriz, aparecem tocando e cantando em diversas faixas do disco.

Em “Toda Musa”, Zélia tocou seu famoso mandolim, instrumento que a acompanha há décadas em palcos e estúdios.

Novo disco de Beatriz Azevedo é um projeto autoral

Em “Canto”, parceria de Beatriz e Moreno, o primogênito de Caetano Veloso toca violão e a célebre percussão no prato, usada no samba da Bahia e em Santo Amaro da Purificação. Moreno Veloso canta ainda a música “De Repente”, composição de Beatriz.

“As canções navegam por diversas experimentações sonoras e ondas musicais – aliás, o termo navega cai muito bem para descrever as sensações que o álbum provoca, percorrendo desde oceanos profundos até calmos rios de floresta nativa”, define Beatriz, que nos conduz como uma sereia cantando com harmonia, força e paixão.

Ficha técnica:

Beatriz Azevedo voz e violão

Matheus Nachtergaele voz

Moreno Veloso voz e violão

Zélia Duncan voz e mandolim

Antonio Neves bateria, trombone e trompete

Cristóvão Bastos piano, wurlitzer e acordeom

Cyro Baptista percussões

Jaques Morelenbaum violoncelo

Jorge Helder contrabaixo, violão e baixo elétrico

Bem Gil guitarra

Darwin Rocha, Eduardo Manso guitarras e efeitos

Ana Clara Horta, Leandro Vasques, Marcelo Rezende vocais

Mais informações sobre o álbum neste link:

Website oficial Ouça o álbum:  https://orcd.co/beatrizazevedoagora

Leia também Quem está por detrás do famoso MODDER do youtube?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here