Anúncio Na Mídia

Dia 1 de agosto, às 19h, participação especial de Nina Wirtti

Lucas Bueno e Paulo César Feital em “Lágrimas”. É foda!, música composta e interpretada por Lucas Bueno e Paulo César Feital, com participações de Soraya Ravenle, Nina Wirtti e Vidal Assis, é uma das primeiras do álbum “Lágrimas”, que será lançado na Casa do Choro, dia 01 de agosto, às 19h, a ir para as plataformas digitais.

O álbum, um manifesto à cultura nacional, utiliza-se dos principais estilos brasileiros como o samba, o baião, o choro, a marcha, o jongo e a toada, para ” – mostrar todo o colorido do cenário mais legítimo do Brasil contemporâneo, espelhando as preocupações, opressões e, missionariamente, alertando e denunciando as dores e o dia a dia de sobrevivência do nosso povo”, segundo Hugo Sukman.

Ainda pegando carona no texto com que Hugo agraciou o duo: “- Como surpresa, duas obras da dupla em parceria com João Nogueira, pós morte, o jongo “Setembrina” e o baião “Pão com Goiabada”.

Outra das belas composições, em sua maioria que retratam o turbulento momento político de nossa Nação, uma homenagem a Darcy Ribeiro em “Samba pra Darcy”.

“Dom Pedro das Flores”, relembrando um personagem marcante das noites cariocas, é outra pérola de originalidade. Abaixo, as letras de É foda!, acompanhada do vídeo que já está no Youtube, e do “Samba pra Darcy”.

Lucas Bueno e Paulo César Feital em "Lágrimas"

No lançamento, dia 01 de agosto na Casa do Choro, Lucas e Paulo irão contar com a participação especial da cantora Nina Wirtti, e dos músicos: Patrick Angello (violão 7 cordas), Rubinho Jacob (violão 6), Tomaz Reta (flauta) e Marcus Thadeu (percussão). Ingressos: inteira a R$55,00, meia a R$28,00. O pagamento na bilheteria, que estará aberta a partir das 11h, deverá ser feito somente em dinheiro. Classificação livre. O endereço da Casa do Choro é Rua da Carioca, 38 – telefone 2242.3597.

Poetas, compositores e artistas sempre preocupados com os rumos do país, não se preocupam em mostrar a cara mesmo em tempos tão conturbados. “É foda!, a música, é um retrato da verve “politicamente incorreta” desses dois artistas que têm belas trajetórias e parceiros talentosos. Paulo César Feital é parceiro de João Nogueira, Nelson Cavaquinho, Hélio Delmiro, Jorge Aragão, Guinga, Menescal, Altay Veloso, Luiz Eça e Claudionor Cruz, dentre outros. Tem dois “Estandarte de Ouro”, prêmio criado pelo jornal O Globo, pelos sambas da Viradouro (“Alabê de Jerusalém”) e Mocidade Independente de Padre Miguel (homenageando Marrocos). É um dos autores de “Saigon”, hit de Emílio Santiago, e já gravou com nomes como Alcione, Beth Carvalho, Nana Caymmi, etc…

Lucas Bueno, um dos talentos da nova geração, pianista, e violinista, é parceiro de Ana Terra, Moyséis Marques, Chico Alves, Iara Ferreira, Joana Hime e Maria Vilani (mãe do cantor e compositor Criolo). E tornou-se parceiro de João Nogueira nas duas canções que constam do álbum “Lágrimas”, que está lançando com Feital.

Samba pra Darcy Ribeiro

Sou brasileiro /Genuinamente batuqueiro/ Gosto mesmo é de tocar pandeiro /Não me chamem pra porrada /Não me chamem pra salseiro/ Gosto é de jogar pelada /De abraçar meus companheiros /Tenho a alma enamorada /Como a de Darcy Ribeiro/ Tenho um samba da pesada /Da Mangueira, do Salgueiro Na Portela, Mocidade /Eu sou Brasileiro Sou brasileiro/ Anarquista e meio desordeiro /Mais Chalaça que Pedro I Mais cachaça, mais moela /Mais costela no braseiro/ Que Paris à luz de velas /Por isso me metem o malho/ Se a Europa é tão bela/ O Brasil é do caralho/ Índios, gays, mulheres, negros /Sob o céu desse cruzeiro /É preciso resistência /Em solo brasileiro

É Foda!”

É foda, É foda, é foda pensar tá proibido, meu irmão É foda, é foda assassinaram a constituição O poder quem emana é o povo você tá tentando de novo matar o amor e a paixão mas não sabe o quanto suporta essa gente que você quer morta carrega no ombro a nação capataz desses novos negreiros é sangue o suor brasileiro que rega os jardins d´ambição É negra, é negra não é afrodescendente, meu irmão é negra, é negra mais da metade da população É foda, é foda pensar tá proibido, meu irmão é foda, é foda assassinaram a constituição Não adianta esconder o legado conquista de um povo sangrado pra aprisionar geração pois o verbo é por Deus preservado e há de trazer do passado as lutas de libertação corrupto, cabra safado são tupiniquins desprezados que erguem sua construção É pobre, é pobre a alma é de argamassa, meu irmão É lágrima, é lagrima a água que inunda o sertão É foda, é foda pensar tá proibido, meu irmão é foda, é foda assassinaram a constituição Bem sei quais são as lições que aprendi nos porões entre chagas e gritos Um : não temer opressões que reprimam canções e separem amigos Dois : despertar multidões dos letárgicos dons que apavoram inimigos Três : é unir corações retomar as paixões pra falência do mito Centenas de crianças mortas mendigas nas ruas, nas portas você nunca viu procissão A fome o espírito aborta meninas vendidas nas rotas é o saldo da corrupção eu sei que você nem se importa pois é você mesmo quem corta a verba que vai pro sertão E agora? E agora? Como pela raíz cortar o mal? E agora? E agora? Mas que saudade de Vovô Sobral

Leia também Grandes atrações no Brasil Summer Fest 2019 em NY

Anúncio Na Mídia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here