Agora a entrega de produtos será feita por meio de drones. Descubra como vai funcionar o delivery por drones do iFood

A recente decisão da ANAC permite a realização de testes pela Speedbird e iFood, em caráter experimental, para além da linha de visada visual

Portanto, esta semana, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) autorizou a realização de testes para entrega de produtos por meio de drones. Ou seja, esta decisão permite que o aparelho seja utilizado em serviços delivery do iFood, por exemplo, entre outras funções.

Assim, esta autorização, concedida à empresa Speedbird, trata-se de uma medida que permite testes, em caráter experimental, além da linha de visada visual – quando o operador não precisa ter contato visual para operar o aparelho e, portanto, é válida até agosto de 2021.

Uma rota com 400 metros ligará a praça de alimentação do Shopping Iguatemi Campinas e o iFood Hub, uma estrutura dentro do empreendimento que roteiriza os pedidos. A entrega deve levar em média 2 minutos, um trecho que percorrido a pé pode levar 12 minutos. A partir daí, a última parte do trajeto é feita pelos entregadores.

Agora a entrega de produtos será feita por meio de drones

Agora a entrega de produtos será feita por meio de drones

Segundo Dennis Nakamura, co-fundador da Relp! Aceleradora de Restaurantes, a utilização de drones na entrega de alimentos, por exemplo, veio para facilitar o trabalho das empresas e aumentar o raio das entregas, sem descartar a importância do entregador.

“O drone está vindo para ajudar. Ou seja, ele não vai substituir os entregadores pessoa física porque a proposta do uso do aparelho é que ele faça as partes mais complexas da entrega como, por exemplo: passar por cima de rodovias, rios, mata, entre outros”, explica o empresário.

O início dos experimentos com drones na América Latina

Dessa forma, em junho de 2019 foi realizada a primeira ação de delivery por drones, autorizada pela ANAC, da América Latina organizada por uma parceria de empresas: Relp! Aceleradora , SpeedBird Aero, bem como, NoBones e Infood.

A iniciativa também contou com a presença de: Lucas Sauaia – co-fundador da Relp! e responsável pela área de B.I, na época, João Pedro Terreiro, analista de negócios, Brunno Barbosa e Marcella Izzo do No Bones, e supervisores da ANAC.

O equipamento, que carregava a 1ª picanha vegetal do mundo, da rede de açougue vegano No Bones, saiu do Parque Ecológico de Barueri, próximo à Av. Dr. Dib Sauaia Neto, em Alphaville, com destino final em Santana do Parnaíba, percorreu uma distância de um pouco mais de 1 quilômetro até chegar ao seu destino, um condomínio residencial em Alphaville.

Desta vez, a ação recebeu a primeira autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para realizar a entrega de comida no Brasil junto com o DECEA da Força Aérea Brasileira (FAB).

Agora a entrega de produtos será feita por meio de drones

Confira o vídeo da ação: http://youtu.be/Lyc_ZCGDoGE

Sobre a agência Mr.DaVinci

A princípio, a agência focada em projetos e campanhas experimentais, trabalha criação e assessoria de imprensa em um mesmo departamento, visando reduzir custos de mídia aos clientes.

Apesar de nova, a agência já possui alguns prêmios na bagagem como shortlist em Cannes, prata no El Ojo e anuário no Clube de Criação.

http://www.mrdavinci.com.br

Sobre a RELP! Aceleradora de restaurantes

Com mentoria especializada, capacitação, relacionamentos, big data, inteligência artificial e desenvolvimento de negócios, conta com grandes nomes do setor de alimentação.

E, ainda, auxilia o segmento de bares e restaurantes.

www.relpaceleradora.com

 

Fotos: Divulgação / Arquivo Pessoal

Fonte: Mayara Martins
Assessoria de Imprensa

Assim, não deixe de lerDr. Bactéria é pré-candidato a vereador da cidade de São Paulo

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here