Resgate da influência africana na cultura brasileira. Pela construção da luta coletiva contra o racismo e o resgate da influência africana na cultura brasileira.

Sempre em movimento, o Prof. Dr. Babalawo Ivanir dos Santos, atua em muitas esferas, sempre muito aguerrido, o fim de semana foi pautado em dois momentos. Assim, no sábado, ciceroneou a 1ª Plenária Virtual de Mobilização para a Caminhada de 1 Milhão de Negras e Negros rumo à Brasília, que acontecerá em 2021.

“Demos um importante passo para a construção da luta coletiva contra o racismo. Dessa forma, tenho certeza que se tornará um marco histórico da luta antirracista no Brasil”, atestou o sacerdote.

Então, a conversa online, recebeu lideranças de todo o Brasil, com o propósito de iniciar, criar uma linha de trabalho e construção, que será realizado de forma coletiva, pelas entidades dos movimentos negros brasileiro para esse grande encontro. Ou seja, uma mobilização única e inédita, mas acima de tudo, um encontro que visa chamar atenção de todos, absolutamente todos, por um programa de governo pautado na questão racial.

Resgate da influência africana na cultura brasileira

Resgate da influência africana na cultura brasileiraPortanto, no domingo, agenda foi com a live Awurê no quintal – O Grupo Awure tem o objetivo de exaltar e resgatar a influência africana em nossa cultura, identidade e a consciência ancestral, através da música, cânticos, poesia, gastronomia e dança.

Em sua primeira Live, o grupo apresentou o resultado de quase três anos no cenário cultural, tendo como ponto de partida o Quintal de Madureira. Além das canções, apresentou vários ritmos da música brasileira que tem influência africana como Samba, Jongo, assim como, Samba de Roda e outros ritmos, a live foi também um momento de apresentar tanto canções autorais e inéditas.

A frente do grupo – Fabíola Machado – candomblecista, cantora, produtora cultural e Arifan Jr – candomblecista, cantor, compositor e produtor cultural, lardeados por grandes músicos, e eles arrasaram.

Devidamente comprovado por em torno de 2300 de audiência direta e 25 mil no rotativo. Onde mais 3h de sons incríveis saudaram clássicos como Oyá, Oyá (Arifan Jr e Clei Santana) e AWURÊ (Teresa Cristina e Raul Do Caprio), entre outras cantigas que encantaram. A gravação aconteceu em São Cristovão.

A Live do Awure foi uma oportunidade também para abordar temas centrais e que incidem diretamente nos povos de terreira e das comunidades de matriz africana. Dentre as participações, presença do Babalawo Ivanir dos Santos, que foi prestigiar o grupo e para falar da 13ª Caminhada de Combate à Intolerância Religiosa, que esse ano terá um outro formato, acontecendo entre agosto e setembro.

Resgate da influência africana na cultura brasileira

A live contou com a grandiosidade de Carol Rocha, a Dandara Suburbana, que trouxe a poesia que é uma marca do seu trabalho. A live permanece no Ar e o no QRcode também, assim como o chapéu virtual.

Onde a contribuição de cada um é importante para que o trabalho siga crescendo, evoluindo e contínuo. Assim, a equipe ganhou peso de Anderson Quack – Diretor, produtor cultural e ativista. E Pedro Oliveira candomblecista, designer gráfico e produtor cultural.

 

Foto: Rozangela Silva / Divulgação

Fonte: Rozangela Silva
Assessoria de Imprensa

Portanto, não deixe de ler: Claudia Matarazzo organiza evento com sorteio para Curaçao

1 COMENTÁRIO

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here