Feijoada do Amaral abre os festejos do carnaval carioca

A Feijoada do Amaral, é um dos eventos mais tracionais do calendário nessa época no Rio, é reconhecida por abrir os festejos do carnaval carioca, acontece por 41 anos, e reina como sempre.

0
feijoada do amaral-namidia
Anúncio Na Mídia

Feijoada do Amaral em clima de folia

A Feijoada do Amaral, é um dos eventos mais tracionais do calendário nessa época no Rio, é reconhecida por abrir os festejos do carnaval carioca, acontece por 41 anos, e reina como sempre.

Com Ricardo Amaral como mestre de cerimônia, o Hippopotamus bombou, aliás, foi ali que a feijoada ganhou fama, em Ipanema.

E essa edição veio com a simpatia e sempre linda Luiza Brunet, como madrinha.

Coroação mais que justa

O pioneirismo de Amaral, traz muitas lendas e histórias, e reunir celebrities, high society e políticos, ele sabe fazer como ninguém.

E ontem, sábado de carnaval não foi diferente, passaram por lá Alexia Dechamps, Giovanna Priolli, Rodrigo Raposo, Ana Paula Padrão, Simone Cavalieri, Sergio Sá Leitão, Janyck Daudet, Zé Reinaldo, Hugo Celidônio, Maria Alice, Carla Daniel, Bernardo Castejá, Prefeito de Jaguariúna Gustavo, Anna Medrado, entre outros

camiseta convite, sempre disputadíssima, fez referência ao livro do Amaral – Rio Book (2017).

 A alquimia dos caldeirões, foi sob o domínio do chef Tião, expert e assinando desde a 1ª feijoada.

Onde comandou 90k de feijão, 60k de arroz, 40k de farofa, de carne seca foram mais de 100k – entre desfiadas e cozidas, além de uns 300k de iguarias como língua defumada, linguiças, paio, bacon, lombo, costela e outros.

De couve, preparou em torno de 200 molhos, o purê de abóbora e a laranja completaram a farra gastronômica.

No quesito customização, em frente ao Club Hippo, ficou a cargo de Abre Alas by Victor Goldberg.

Figurinista estava munido com mais 600 metros de cetim nas cores dourada, prata e vermelho, com muito metros de aviamentos de lantejoulas, para deixar cada blusa bem especial.

Ao lado da produção dos brilhos, um louge tropical de uns 30m, uma espécie de varandinha, com direito a open bar e rodas de sambas, comandado pelo grupo “Puroacaso”, a área ficou bastante movimentada.

Os 3 ambientes do Hippo, receberem em torno de 700 pessoas.

Foram embalados ainda com bateria do Spanta, intercalando com os Dj Marquinhos e Dj Jacaré.

Som dos clássicos dos anos 80, com hits baianos, axés e velhos carnavais.

Nos bares, foi um agito só, para atender a demanda de muitos drinks e caipirinhas. Na ala dos apoiadores, a Magnésia de Phillips distribuía pastilhas na entrada.

A Cia da Empada criou uma parceria inédita, almejando expansão de negócios, realizou degustação de 1000 delicias, de 6 sabores, mas o que mais surpreendeu foi o tamanho, bem acima do tradicional, agradou em cheio.

Outro mimo ficou por conta do gelato italiano Diletto, com o sabor incrível de torta de limão.

E assim, mais uma mega realização de Ricardo Amaral, um ícone internacional, sempre lardeado pelo filhos Bernardo e Rick.

E tem mais, realizam ainda o Baile do Hippo, dia 13 e Alô Alô Amaral, dia 16. E a festa continua.

Fotos de Zezinho Peres

Leia também: Bahia muito bem representada no carnaval paulista

 

 

Anúncio Na Mídia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here