Tipos de linguagem: o que é e quais são?

Tipos de linguagem: o que é e quais são?

Os tipos de linguagem que existem dentro de uma sociedade são diversificados e são utilizados tanto dentro de situações mais cotidianas informais quanto no mercado com uma maior formalidade.

O contexto da linguagem em si é um sistema do qual o ser humano usa para comunicar as suas ideias, ou sentimentos, por meio da escrita, fala ou outros modos de comunicação que possam transmitir o que o indivíduo deseja.

De modo que, em determinadas situações, o uso de uma linguagem deve ser uma regra ou então, uma opção dependendo do contexto do qual se é necessário, principalmente quando trata-se do mercado.

Sendo um ambiente do qual a comunicação é o que estabelece a relação entre os consumidores e os empreendimentos, seja um atendimento de enfermagem domiciliar ou uma loja de roupas, a linguagem pode ser dividida em dois formatos: formal e informal.

O modelo formal está diretamente ligado à norma culta, ou linguagem padrão, do qual é usada principalmente em ambientes mais profissionais como reuniões, apresentações de trabalho ou fechamento de parcerias com investidores.

Tipos de linguagem: o que é e quais são?

Já o modelo informal é quando há uma intimidade na comunicação, com uma linguagem mais simples e de modo que até mesmo seja um pouco mais descontraído, comparado ao modelo formal.

Um exemplo é quando um usuário pesquisa uma pet shop banho e tosa perto de mim dentro de uma plataforma de busca e pode se deparar com feedbacks mais descontraídos de clientes fidelizados, devido ao relacionamento que possuem com a empresa.

Compreender quais são as linguagens que existem e a sua importância, além das funções, contribui para que não haja um ruído dentro da comunicação que está sendo estabelecida, independentemente do formato que foi escolhido.

Por isso, é importante ter um bom conhecimento e, desta forma, usar essa técnica para alcançar os objetivos e as metas, sejam elas pessoais ou empresariais.

Tipos de linguagem: o que é e quais são?

Conheça os tipos de linguagem

Quando um empreendimento de uma gráfica rápida cartão de visita, por exemplo, decide compreender os tipos de linguagem para que suas estratégias sejam feitas de um modo mais assertivo, alguns modelos podem ser encontrados.

1. Verbal

A linguagem verbal está ligada à fala ou à escrita, sendo considerada como uma linguagem mais cotidiana devido a frequência que é utilizada para fazer uma comunicação, podendo ser em palestras, livros, cartas ou conversas entre duas ou mais pessoas.

A comunicação verbal é a forma mais usada para que a sociedade se comunique, por isso, é estimulada com crianças e bebês desde os primeiros meses de vida, sendo aperfeiçoadas ao longo dos anos.

2. Não verbal

Este modelo de linguagem é constituído de recursos visuais, de modo que não contém quaisquer palavras para intermediar a comunicação.

A linguagem não verbal está ligada diretamente a imagens de uma campanha de marketing de uma persiana blecaute automática que não contém nenhuma palavra, por exemplo, placas, desenhos, gestos e corporal.

Contudo, é importante distinguir que gestos como os que são usados em LIBRAS, ou Língua Brasileira de Sinais, não devem ser incorporados como linguagem, mas sim com uma língua de acordo com os artigos e leis.

3. Híbrida

Como uma junção das duas modalidades, a linguagem híbrida ou mista coexiste simultaneamente dentro de uma determinada situação.

Sendo um exemplo quando há histórias em quadrinhos, com desenhos e diálogos, da mesma forma que uma campanha publicitária de guarda corpo panorâmico de vidro também pode usar este formato de linguagem em suas estratégias de marketing.

Para fortalecer ainda mais a linguagem e a comunicação que está sendo exercida, a forma híbrida é a mais utilizada porque, além de ilustrar, mostra palavras que ajudam ainda mais na compreensão sem que haja ruídos. 

Função da linguagem na sociedade

Dentro da sociedade, as formas de linguagens podem ser de diferentes modos, contudo sempre tendo as bases de que há um emissor, um receptor e uma mensagem que é enviada pelo canal de comunicação, podendo ter códigos e contextos.

A partir de então, a linguagem é adaptada conforme as funções das quais vão sendo utilizadas, podendo ser:

  • Referencial;
  • Emotiva;
  • Conativa;
  • Metalinguística;
  • Fática;
  • Poética.

Quando é uma função de modo referencial, é a informação sendo levada de um modo mais direto e objetivo, utilizada principalmente quando se trata de textos científicos ou jornalísticos, sempre dando foco para a informação levar um esclarecimento ao receptor.

A linguagem com função emotiva é quando o emissor coloca sua própria marca dentro daquilo que está sendo enviado como conteúdo, de modo que ao se ter acesso a eles possa identificar tanto os sentimentos quanto os pensamentos ou opiniões.

Em grande parte dos casos, a linguagem é feita em uma primeira pessoa em sites como blogs ou até no feedback dos consumidores de envelopamento interior automotivo, transparecendo sempre um lado mais pessoal nos conteúdos compartilhados.

A conativa ou apelativa, o foco é inteiramente voltado ao receptor, que, por meio das mensagens certas, sofre uma tentativa de ser convencido de algo, um dos recursos que é bastante utilizado no setor do marketing de qualquer segmento mercadológico.

Usando até mesmo verbos no imperativo para atrair ainda mais a atenção e levar o receptor ao convencimento de exercer uma ação, esta função deve ser bem planejada quando associada ao marketing para que não gere o efeito oposto ao da aproximação do cliente.

Linguagens com ênfase no código são conhecidas por serem de função metalinguística, quando a linguagem fala de si mesma na forma de próprio referente, de forma que é ainda mais usado na arte ou na literatura.

O modelo de função fática é quando há sons no meio da comunicação, que servem para chamar a atenção e um dos maiores exemplos são as músicas, que, além das letras, existe a melodia que ajuda na transmissão da linguagem apresentada.

As funções poéticas estão ligadas ao modo como a mensagem será transmitida, e tendo todo o cuidado para que mantenha uma determinada estética ou beleza, fazendo com que o emissor se preocupe com os modos que será dita.

Variando de objetivo para objetivo, e principalmente, de empresa para empresa, as funções de uma linguagem ajuda a determinar no cumprimento dos objetivos para que ambos os lados compreendam o que está sendo transmitido e recepcionado.

Importância da linguagem no cotidiano

A linguagem é uma forma de comunicação que não colabora somente em questões orais, mas nos contextos dos quais podem ser explicados de forma escrita, contribuindo para a troca de ideais tanto criativas como de senso crítico.

Contribuindo também para as oportunidades de trabalho, ter um bom conhecimento de quando usar linguagem formal ou informal faz com que, as chances de um fechamento de parceria para alinhamento 3D completo torna-se mais fácil de ser realizada.

Por isso, exercer a linguagem é importante dentro de uma sociedade para que as práticas de relacionamento entre diferentes pensamentos possam contribuir para a evolução do meio onde os indivíduos vivem.

Divergências entre língua e linguagem

Podendo, muitas vezes, ser confundido em alguma situação, há diferenças quando se fala de linguagens e de línguas.

A língua é um código onde é classificada como uma linguagem, sempre de uma forma mais verbal e sendo sempre em uma única forma, mesmo que seja feita em idiomas diferentes entre o receptor e o emissor.

Já a linguagem, por sua vez, é uma forma de transparecer alguma mensagem que pode ter diferentes finalidades, até mesmo pensamentos e possuem vários tipos e funções das quais ao ser utilizado, colaboram com a mensagem que está sendo enviada.

Considerações finais

A linguagem é uma das formas de comunicação mais usadas pelos seres humanos, e por ter modos como o informal e o formal, acabam se adequando ao momento em que está sendo utilizada.

Havendo vários tipos que podem incluir uma mistura de verbal e não verbal, assim como a distinção destes, as funções de uma linguagem dentro da sociedade acabam variando de objetivo para objetivo.

Onde um empreendimento de preenchimento facial bochecha pode usar a forma mais conativa enquanto um texto científico pode usar uma linguagem mais referencial, por isso, conhecer as funções contribui para saber os momentos mais adequados.

Havendo diferenças entre linguagem e línguas, conhecer os modelos que existem contribui para que o ser humano saiba qual o melhor momento para utilizá-las e também as formas que podem contribuir para o seu objetivo e metas.

Envolvendo emissor, mensagem e receptor, as formas de linguagem existem desde os primeiros contatos de civilizações e é uma área que será cada vez mais aprimorada com as tecnologias e os meios para que seja exercida.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Leia: Fora do Closet, o brechó de luxo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui