Mulheres que trabalham fora enfrentam mais dificuldade em promover alimentação saudável aos filhos

0
261
Mulheres que trabalham fora enfrentam mais dificuldade em promover alimentação saudável aos filhos
Mulheres que trabalham fora enfrentam mais dificuldade em promover alimentação saudável aos filhos

Psicóloga afirma que mãe e pai precisam aprender a conciliar a educação alimentar dos filhos juntos para que as mulheres não se sobrecarreguem

Administrar a alimentação dos filhos enquanto se está longe por causa do trabalho é um dos maiores desafios das mães que trabalham fora de casa. Já existem pesquisas que apontam que as crianças com mães que trabalham fora de casa têm mais tendência à obesidade e esse é apenas um dos dilemas das mulheres modernas. Além de serem “culpadas” pela má alimentação dos filhos, elas também, em sua maioria, precisam comer fora e com isso, sem levar em conta muitos critérios consigo mesma.

Quando chegam em casa, a expectativa é que a mãe alimente seus filhos com refeições saudáveis, arrume a casa e ainda arranje um tempo de descanso para encarar mais um dia de trabalho. Para gerenciarem tudo isso sozinhas, as mães precisariam ter muito mais tempo disponível. É importante lembrar que para ter uma alimentação saudável é necessário reservar um tempo para cozinhar e preparar os alimentos corretamente. Uma rotina acelerada e cansativa pode impossibilitar as mães de terem disposição para preparar uma comida nutritiva para ela e seus filhos.

A chef focada em alimentação saudável Denise Correa explica que devido a praticidade oferecida pela indústria e falta de tempo, as mães dão preferência aos ingredientes industrializados. “Por conta da facilidade de alcance e praticidade, as mães escolhem a alternativa mais rápida e fácil para alimentar seus filhos, que são os alimentos industrializados. No entanto, não se leva em conta a alta concentração de gordura, conservantes e açúcar que esses tipos de comidas possuem. Isso gera um aumento nos problemas de obesidade, diabetes e colesterol nas crianças”, disse a chef.

Muitas mulheres encontram dificuldade em dar um jeito para conciliar as rotinas do lar e do trabalho, mas, sem uma rede de apoio, essa combinação fica mais difícil de funcionar. Infelizmente, ter filhos ainda é visto como um impedimento para o progresso da carreira profissional de muitas mulheres. São nesses casos que estabelecer uma rede de apoio para compartilhar tarefas pode ser o diferencial para para uma mãe seguir sua jornada de trabalho de modo mais leve.

A “culpa” pela má alimentação das crianças não pode ser atribuída às mulheres que trabalham fora de casa. A psicóloga da Clínica Niterói Helenice Araújo afirma que a mãe é cobrada pela sociedade. “A mulher e o homem precisam conciliar a educação alimentar dos filhos. Porém, é importante lembrar que a mulher tem jornada dupla de trabalho. A mulher precisa ser super mãe, super funcionária, super mulher. Ela não consegue dar conta da cobrança social de ser boa em todos os momentos”, disse a psicóloga.

A especialista entende que criar expectativas em relação à educação alimentar dos filhos é algo frequente entre as mães, mas é preciso tomar cuidado quando elas não são correspondidas. “É comum que as mulheres que engravidam criem expectativas em relação a criação, afeto e, principalmente, quanto a alimentação do seu filho. Diante da expectativa não realizada, a mulher cria um sentimento de tristeza ou aborrecimento, o que podemos chamar de frustração”, completou a Helenice.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui