Jantando com um mito do cinema Willian Wyller

Se o Data Folha ou o Ibope resolverem fazer uma pesquisa nas longas filas que se formam nos cinemas que exibiram “Avatar”, para ver quem conhece ou ouviu falar de William Wyller, f

0
Jantando com um mito do cinema Willian Wyller

Jantando com um mito do cinema Willian Wyller.

Por Mauricio Kus,

Se o Data Folha ou o Ibope resolverem fazer uma pesquisa.

Justamente, nas longas filas que se formam nos cinemas que exibiram “Avatar”, para ver quem conhece ou ouviu falar de William Wyller.

Dessa forma, ficariam muito felizes se conseguissem cravar pelo menos um voto positivo nas pranchetas dos pesquisadores.

William Wyller, nascido em Mulhouse, então Alemanha.

Portanto, em 1 de julho de 1902, hoje território francês,  e falecido em Los Angeles em 27 de julho de 1981..

Foi dessa forma, um dos maiores diretores do cinema americano, um colecionador de prêmios Oscar e realizador de filmes que marcaram época.

Portanto,  são relacionados entre os maiores de todos os tempos.

Eis aí uma pequena mostra de uma filmografia que conta com 80 títulos, todos eles filmes de sucesso de público e crítica: Jezebel, O morro dos ventos uivantes, A carta, Mrs. Miniver, Os melhores anos de nossa vida, Tarde demais, A história de um detetive (Plantão 21, Ben Hur, A princesa e o plebeu, Funny Girl, Como roubar um milhão de dólares, O colecionador, Horas de desespero, A herdeira, e por aí vai.

Seus filmes eram filmes de atores e sem efeitos especiais, cujo forte eram os roteiros e tramas no enredo, em sua maioria dramáticos ou comédias românticas de alto nível.

Jantando com um mito do cinema Willian Wyller

Em 1920, ainda jovem, emigrou para os Estados Unidos em busca de um trabalho no cinema, estabelecendo-se em Nova York.

 Ao perceber que as oportunidades estavam na Califórnia, mudou-se em 1922 para Los Angeles, onde realizou seu primeiro filme em 1925, The Crook Buster, um longa mudo que deve ter se perdido no tempo.

Em 1928 obtém a cidadania americana.

1938 e 1939 foram anos importantes na carreira de William Wyller. Realizou Jezebel, com Bette Davis, Henri Fonda e George Brent, mas teve o azar de competir pelo Oscar com O vento levou, que levou quase todos os prêmios naquele ano, o mesmo azar que impediu O mágico de Oz que levar vários prêmios.

Foi um ano de ouro para Hollywood.

mkus@uol.com.br

Leia também: Ministro das Comunicações diz que 5G será o assunto em 2021

Fonte: http://mauriciokus.hol.es/mauriciokus.php?id=YTI8I

 

 

 

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here