Fampyra: Indicado para tratamento de Esclerose Múltipla

Fampyra: Indicado para tratamento de Esclerose Múltipla

0
esclerose múltipla, tratamento, cérebro

Quem sofre de esclerose múltipla sabe que a doença impõe muitos desafios todos os dias.

Esta doença degenerativa afeta vários aspectos da vida dos pacientes e tem sintomas muito diversos.

Desde a fadiga passando por alterações fonoaudiológicas, visuais e cognitivas e emocionais, passando por problemas de mobilidade e movimentação. A evolução da doença impõe muitos desafios para aqueles que sofrem dela. A rotina acaba sendo muito alterada e a qualidade de vida dos pacientes pode ser muito comprometida.

Um dos grandes desafios é exatamente caminhar e se movimentar com autonomia. E o medicamento Fampyra surge como um tratamento que pode melhorar a qualidade de vida dos pacientes, proporcionando uma melhora na mobilidade geral do paciente. Saiba como este medicamento atua dentro do cérebro.

Bloqueando a fuga de potássio

O nosso cérebro funciona a base de impulsos eletromagnéticos que transmitem ordens para os neurônios, através dos quais são realizados os comandos para as tarefas do dia a dia. A mielina é uma capa composta por lipídeos e proteínas, que acelera e potencializa estes impulsos magnéticos e possibilita que eles cheguem ao destino rapidamente.

Nos neurônios, existem canais de potássio dependentes de voltagem, que servem como condutores de informações. Em pessoas saudáveis, estes canais ficam sob a proteção da mielina.

A esclerose múltipla, entre outras doenças, degrada a mielina que recobre o sistema nervoso, ocasionando a interrupção do fluxo elétrico de informações entre o corpo e o cérebro. Com isso, os canais de potássio ficam expostos e o potássio começa a vazar, por assim dizer. Sem o potássio, a comunicação do cérebro fica deficiente, afetando principalmente as funções motoras e ocasionando fraqueza muscular.

O medicamento Fampyra é um tratamento que atua diretamente nos canais de potássio expostos. Ele bloqueia estes canais de potássio, impedindo que as partículas de potássio carregadas com cargas elétricas abandonem as células nervosas, permitindo que os impulsos elétricos continuem a se propagar e as informações cheguem aos músculos.

Com isso, o paciente percebe uma melhora significativa em sua mobilidade e em suas funções motoras inferiores, principalmente para caminhar. Os resultados podem ser vistos em até duas semanas após o início da terapia com a medicação.

Embora o medicamento não seja eficiente para todos as pessoas, para aqueles que reagem positivamente os benefícios são inegáveis. Estudos comprovam que muitos pacientes portadores de esclerose múltipla experimentaram uma melhora consistente na velocidade e qualidade de sua caminhada e no controle  da movimentação de seus membros inferiores.

Os pacientes que se submeteram ao tratamento também apresentaram uma significativa melhora para a realização de atividade do dia a dia como subir escadas, ficar em pé e fazer pequenas caminhadas. As melhorias também abrangem a força muscular dos membros inferiores e uma diminuição na rigidez muscular.

Estas melhorias são fundamentais para preservar a qualidade de vida destes pacientes e auxiliar estes pacientes a terem uma vida mais normal possível, preservando sua autonomia e controle corporal.

Conheça mais sobre outras condições neurológicas de seus tratamentos em nosso blog.

Leia também: Reciclagem de esponjas alcança a marca de 1 milhão

 

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here