Era da Inclusão”expressão artística de deficientes intelectuais

Exposições itinerantes com obras feitas por participantes do projeto "Pintou a Síndrome do Respeito" vão ser apresentadas em sete locais de São Paulo até março de 2018

0
687
instituto olga kos-na midia-uiara zagolin

Era da Inclusão”expressão artística de deficientes intelectuais. Era da Inclusão”expressão artística de deficientes intelectuais. As mostras trazem obras selecionadas do acervo do Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural (IOK) e que foram produzidas nas oficinas de um dos projetos mais importantes do Instituto: o projeto “Pintou a Síndrome do Respeito”, que tem por objetivo a inserção plena das pessoas com Deficiência Intelectual, particularmente Síndrome de Down, na vida social. Nas oficinas de arte, elas são estimuladas a criar um novo canal de comunicação e expressão. A Expo 21 visa divulgar a arte produzida por essas pessoas para valorizar o seu trabalho enquanto artistas. Para isso , as obras vão ser levadas para diversas instituições com o objetivo de incentivar a prática artística entre outras pessoas com Deficiência Intelectual e em situação de risco social.

“A apropriação de espaços culturais e sociais, que acontece gradualmente a partir deste mês, permite a integração dos participantes com os locais e com a obra de outros artistas. A itinerância gera movimento, garante o acesso e a certeza do pertencimento, cultivando e educando a emoção através da arte”, afirma a artista plástica Camilla Kury.

As instituições, Alternativa, Lares, Apoie, Monte Azul, Instituto Gabi, CEU Cidade Dutra eFábrica de Cultura, que atendem pessoas com e sem deficiência intelectual, foram selecionadas para receber a mostra. Em cada um dos sete locais das exposições itinerantes serão escolhidas três obras que irão fazer parte da exposição final, com 21 obras. Na Alternativa – Associação de Assistência ao Excepcional – a exposição já está aberta ao público e vai até o dia 05/09. Depois as obras serão expostas no Instituto Gabi, de 15/09 à 27/09. E assim por diante, até a exposição final, marcada para o dia 21 de março de 2018, Dia Internacional da Síndrome de Down.

“O nosso objetivo maior  é valorizar a produção artística das pessoas com Deficiência Intelectual, exibir o seu trabalho em Artes e dar maiores condições de acesso aos bens culturais, às oportunidades de superação de sua situação de exclusão, bem como a formação de valores positivos de participação na vida social”, afirma Wolf Kos, Presidente do Instituto Olga Kos.

“É educar a emoção através da Arte, promover jovens e adultos pensadores e questionadores, expandindo os horizontes da inteligência. Pessoas que têm acesso aos bens culturais são determinadas, criativas e vivem melhor em sociedade”, completa Olga Kos, vice-presidente do IOK.

A Expo 21 faz alusão ao terceiro cromossomo que se liga ao par 21 do código genético e dá origem à Síndrome de Down ou Trissomia do 21. Na apresentação final as 21 telas escolhidas irão apresentar potências criativas e escolhas conscientes- tanto na realização quanto na curadoria das obras – de diversos artistas participantes das oficinas oferecidas pelo Instituto.

“A Expo 21, realizada pelo Instituto Olga Kos, celebra um momento de inclusão, respeito e incentivo à prática artística. As obras da exposição são experimentos de possibilidades expressivas e têm como inspiração os caminhos percorridos por artistas brasileiros como Ivald Granato, Neto Sansone, Takashi Fukushima, entre outros”, informa Camilla.

O Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural é uma entidade reconhecida pela excelência dos projetos de arte, dança e esportes que atendem cerca de 3.500 pessoas, com e sem deficiência intelectual, especialmente Síndrome de Down, ou em situação de vulnerabilidade social, em 40 locais espalhados pela cidade de São Paulo.

A Expo 21 tem o apoio do Ministério da Cultura, com os seguintes patrocinadores: Banco Toyota, da Casa Tognini e Bradesco Seguros.

Calendário das exposições itinerantes:

A ALTERNATIVA

Rua Joaquim Nabuco, 513

Período de exposição: De 24 a 29 de Agosto

De segunda a sexta-feira, das 8 às 17h.

Inst. GABI

R. Gustavo da Silveira, 128 – Vila Santa Catarina

Período de Exposição: De 15 a 27 de Setembro

De segunda a sexta feira, das 9 às 17h.

LARES

Av. Barão de Rego Barros, 179

Período de exposição: De 6 a 26 de Setembro

De segunda a sexta-feira, das 9 às 17h.

APOIE

Av. Prefeito Fábio Prado,17

Período de exposição: De 4 a 30 de Outubro

De segunda a sexta-feira, das 9 às 17h.

MONTE AZUL

Av. Tomás de Souza,552

Período de Exposição: De 7 a 24 de Novembro.

De segunda a sexta-feira, das 9 às 17h.

CEU CIDADE DUTRA

Av. Interlagos,7350

Período de Exposição: De 13 a 31 de Janeiro.

De segunda a sexta-feira, das 9 às 17h.

FÁBRICA DE CULTURA

R. Franklin do Amaral, 1575

Período de Exposição: De 3 a 28 de Fevereiro.

De segunda a sexta-feira, das 8 às 17h

 

Sobre o Instituto Olga Kos

 www.institutoolgakos.org.br

Fundado em 2007, o Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural (IOK) é uma associação sem fins econômicos, com qualificação de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que desenvolve projetos artísticos e esportivos, aprovados em leis de incentivo fiscal, para atender, prioritariamente, crianças, jovens e adultos com deficiência intelectual. Além disso, parte das vagas de nossos projetos é destinada a pessoas sem deficiência, que se encontram em situação de vulnerabilidade social e residem em regiões próximas aos locais onde as oficinas são realizadas.

Reconhecido pela maior honraria da cidade de São Paulo, a Medalha Anchieta, acompanhada do Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo, o Instituto é condecorado pela Ordem do Mérito Cultural (OMC) e foi homenageado com Salva de Prata na Câmara dos Deputados. Em 2016, recebeu o prêmio da ABCA (Associação Brasileira de Críticos de Arte) que contempla artistas visuais, curadores, críticos, autores e instituições culturais que foram destaque no ano e também foi premiado com o Selo de Qualidade da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte. Em 2017, o IOK foi escolhido pela Revista Época e o Instituto Doar entre as 100 melhores ONGs do Brasil no Prêmio Melhores ONGs 2017.

O Instituto Olga Kos é uma das instituições, entre outras 11 na América do Sul, a ser adotada pelo Papa Francisco no projeto “Scholas Ocurrentes”, que reúne escolas e redes educativas de todas as confissões religiosas e leigas, públicas e privadas no mundo todo para promover o encontro pela paz por intermédio da educação.

A história do IOK é contada no livro “10 Anos de Inclusão”, escrito pelo historiador Célio Turino, em comemoração aos dez anos do instituto.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui