O evento aconteceu no último dia 02 e 03 de fevereiro , no
Museum of  Moving Image (MoMI)  em Nova Iorque , EUA

Anualmente, a Film Society of Lincoln Center e o Museum of Modern Art promovem em Nova York o festival New Directors/New Films, em que são exibidas realizações de “cineastas emergentes” de todo o mundo.

Neste ano, em sua 47ª edição, quatro filmes brasileiros aparecem entre os selecionados. São eles: Azougue Nazaré, de Tiago Melo; As boas maneiras (Good manners), de Marco Dutra e Juliana Rojas; Cocote, de Nelson Carlo de los Santos Arias; e Djon África, de João Miller Guerra e Filipa Reis.

Enquanto o documentário ‘Baronesa’ traz o olhar feminino e humanizante sobre a periferia, onde conclui que a função social do cinema o aproxima de debates sobre a representatividade e o lugar de fala. Cabe ao cineasta, que direciona o olhar, ser um mediador na exposição de uma realidade da qual não pertence? “Baronesa”, filme de estreia de Juliana Antunes, instiga essa reflexão ao apresentar Andreia​ e Leidiane, vizinhas na comunidade Vila Mariquinhas, em Belo Horizonte.


“Baronesa” orienta um olhar humanizador sobre as vítimas de um sistema segregador e opressor. Em um interessante diálogo entre Leidiane e Andreia, trazem nos versos de um rap a consciência acerca da desigualdade sócio-econômica que separa o morro e a cidade. A fala é interrompida pelo barulho de tiros, advindos de uma ficção hiper-realizada ou de uma devastadora realidade. Cocote é uma coprodução latina da Republica Dominicana/Brasil/Argentina. No filme, exibido na 41ª Mostra de São Paulo, um jardineiro evangélico retorna à sua cidade natal para o funeral de seu pai e é obrigado a participar de celebrações religiosas contrárias às suas crenças. Os países lusófonos Portugal, Brasil e Cabo Verde constroem uma ficção a partir de um passado imperialista em Djon África. A primeira ficção da dupla portuguesa João Miller Guerra e Filipa Reis foi destacada na lista de novos diretores do ano do New York Times.

Artigo anteriorOtimismo em toda a cadeia do AgroNegócio
Proximo artigoCantora Flávia Bittencourt no Nublu em Manhattan
Sula Costa nasceu em Anápolis, GO. Formou-se em Publicidade, Marketing e Jornalismo. Em NY, trabalhou com produtoras cinematográficas internacionais, Organizações de Instituto de Pesquisa em Preservação do Meio ambiente na ONU. Estudou produção de TV na Califórnia , designer gráfico e fotografia em NY. Trabalhou em projetos de restauração,construção e intervenção, planejamento culturais para o Brasil . Cobriu os principais eventos econômicos do Brasil em New York; trabalhou como correspondente internacional para o jornalista Gilberto Amaral. É Diretora Executiva da Costa Consulting,, empresa de consultoria e fomento cultural em Brasilia e, World Art Show em Sao Paulo, empresa que apoia a arte visual do Brasil.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here