Anúncio Na Mídia

Até fim de julho mais de 300 mil cestas terão sido entregues .Mais de 250 mil cestas de alimentos já foram doados para povos e comunidades tradicionais durante a pandemia do novo coronavírus.

A medida, de caráter emergencial, pretende amenizar dessa forma, os efeitos da pandemia nas populações em situação de vulnerabilidade social.

Com isso, evitar que famílias saiam de suas casas para buscar comida em outros locais.

Os números são do balanço semanal divulgado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Até fim de julho mais de 300 mil cestas terão sido entregues

Segundo o levantamento, até a última sexta-feira (3) as cestas foram distribuídas em 22 estados da seguinte forma.

Acre (1,9mil), Alagoas (10,6 mil), Amazonas (49,3 mil), Amapá (294), Bahia (38,8 mil), Ceará (4,8 mil), Maranhão (11,7 mil), Minas Gerais (14,8 mil), assim como, Mato Grosso (24,1 mil).

Mato Grosso do Sul (14,4 mil), Pará (12,8 mil), Paraíba (6,3 mil), Pernambuco (14,2 mil), Piauí (2,7 mil), Paraná (12,4 mil), Rondônia (3 mil), e também, Rio Grande do Norte (1,3 mil).

Rio Grande do Sul (14,4 mil), Santa Catarina (6,3 mil), Sergipe (330), São Paulo (3 mil) e Tocantins (1,1 mil).

Até o final de julho, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), responsável pela distribuição, vai entregar cerca de 73 mil cestas de alimentos.

A ação é uma parceria entre o Ministério dos Direitos Humanos, Fundação Nacional do Índio (Funai), Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e a Conab.

Até fim de julho mais de 300 mil cestas terão sido entregues

Doação de alimentos

Para garantir as doações, de R$ 45 milhões destinados ao ministério, R$ 40 milhões foram aplicados na aquisição, embalagem e distribuição dos produtos.

Após a compra e o empacotamento, parte das cestas é entregue diretamente pela Conab nas comunidades quilombolas.

O restante é encaminhado para as coordenações regionais da Funai – responsável a priori, pela entrega nas aldeias indígenas.

A ação faz parte do Plano de Contingência para Populações Vulneráveis – anunciado incialmente, pelo Governo Federal e coordenado pelo Ministério dos Direitos Humanos.

Tal ação, prevê portanto, o investimento de R$ 4,7 bilhões em políticas para minimizar os efeitos da pandemia do novo coronavírus.

A ministra Damares Alves destacou também, os esforços para combater os efeitos da pandemia.

“Esse trabalho conjunto é fundamental para que a gente atenda da melhor forma possível as nossas comunidades indígenas assim como,  povos tradicionais.

Unidos, não vamos deixar ninguém para trás”, disse conclusivamente.

Fonte: Karine Melo/Agência Brasil Edição: Maria Claudia

Foto: Marcelo Camargo/Ag.Brasil

Leia também: Prefeito de Nova York quer reabrir escolas

Anúncio Na Mídia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here