Aposentados e servidores públicos endividados

45% dos paulistas estão com dívidas crescentes; aposentados ganham suporte com mudanças no INSS e com novas plataformas de redução de taxas

0
369
Aposentados e servidores públicos endividados ganham solução em São Paulo, onde quase metade da população tem dívidas
Aposentados e servidores públicos endividados ganham solução em São Paulo, onde quase metade da população tem dívidas

Aposentados e servidores públicos endividados.

Aposentados e servidores públicos endividados ganham solução em São Paulo, onde quase metade da população tem dívidas

45% dos paulistas estão com dívidas crescentes; aposentados ganham suporte com mudanças no INSS e com novas plataformas de redução de taxas

A população paulista está cada vez mais inadimplente. De acordo com o Serasa, 45% dos paulistanos estão com dívidas na praça em 2023. De acordo com os dados do Cenário da Inadimplência no Brasil, o total de devedores do Estado chegou a 16,3 milhões em janeiro de 2023. Apenas nos últimos cinco anos, a inadimplência cresceu em 8,6%. Além do crescimento de déficit, o valor médio das dívidas também subiu. Em 2018, a dívida média era de R$ 4.618,00 e, em janeiro de 2023, chegou a R$ 5.324,66.

O Brasil como um todo também segue com a mesma problemática. São 70,1 milhões de pessoas com dívidas no CPF em 2023, contra os 59,3 milhões encontrados em janeiro de 2018. O levantamento de abril de 2023, realizado pela Serasa, indica que o Brasil conta com 71,44 milhões de pessoas em situação de inadimplência. O crescimento foi de 732 mil novos inadimplentes em relação ao mês anterior.

🟢 Aplicativo foi criado para comparar, simplificar e reduzir taxas:

Mas a solução pode estar na palma da mão. Reginaldo, aposentado de 71 anos, teve uma redução de R$ 20 mil graças ao app Konsi (@konsi.app). “Fiz buscas na internet para verificar se tratava de uma empresa séria, se poderia confiar nessa proposta que era bem atrativa. Após me certificar, contratei a portabilidade e a minha parcela teve redução de R$ 234. Com as 84 parcelas que faltava para pagar, tive R$ 20 mil de economia e foi um grande alívio para minhas contas mensais”, exclama.

A plataforma gera reduções de juros e melhores condições de parcelamentos, mesmo para dívidas e empréstimos já existentes. Além de novos créditos, é possível simular e contratar operações de portabilidade com revisão dos juros para reduzir as parcelas das operações antigas ou ainda transformar a economia em um “troco” (nova retirada de valores sem aumentar o valor da parcela).

Aposentados e servidores públicos endividados

Regina, por exemplo, de 51 anos, Servidora Pública do Estado de São Paulo, optou por transformar a economia em uma retirada: “Estava precisando muito e consegui um troco de R$ 16 mil sem aumentar minha parcela”, conta.

O blog www.konsi.com.br/blog também orienta servidores, públicos, aposentados e pensionistas sobre os pontos mais relevantes da vida financeira dessas pessoas e como ficar longe de “pegadinhas” e golpes. “Os conteúdos também explicam melhorias para o crédito consignado, inclusive sobre reduções de juros por portabilidade, refinanciamentos e melhores condições de contratação”, diz Paulo, co-fundador do Konsi.

“A grande dificuldade encontrada pelos beneficiários do INSS e servidores públicos ao contratar esse tipo de operação é conseguir propostas em diversas instituições e compará-las devidamente. Afinal, cada uma segue parâmetros e regras específicas, como: seguro obrigatório, margens de segurança e outras variáveis”, explica Bruno, sócio do app.

Aposentados e servidores públicos endividados
Aposentados e servidores públicos endividados ganham solução em São Paulo, onde quase metade da população tem dívidas

🟢 Mais benefícios do INSS:

Para além da solução com a plataforma, os aposentados também podem se beneficar com o novo teto dos benefícios pagos pelo INSS. Ele será reajustado de R$ 7.087,22 para R$ 7.507,49, um aumento de 5,93%. O reajuste de 5,93% se aplica apenas a quem já recebia pagamentos do INSS em 1º de janeiro do ano passado. Os segurados que começaram a receber benefícios após fevereiro de 2022 terão um percentual de reajuste menor, proporcional ao período em que receberam benefícios.

🟢 Ajuste também no salário mínimo:

Estas mudanças foram anunciadas em sequência ao anúncio do aumento do salário mínimo. O salário mínimo sofreu um aumento de 5,81% para compensar a inflação e um aumento adicional de 1,5% para refletir um aumento real que não havia sido concedido nos últimos quatro anos, passando a ser de R$ 1.302,00 a partir de janeiro de 2023.

Após o Conselho Nacional de Previdência Social aprovar, em 13/03, a redução das taxas de juros do empréstimo consignado do INSS, diversos bancos suspenderam suas operações nessa modalidade. Entre eles estão Bradesco, Itaú, Pan, Banco Mercantil do Brasil, C6 Bank e Daycoval. Até mesmo bancos públicos, como Caixa e Banco do Brasil, suspenderam suas operações de empréstimo consignado.

🟢 Estabelecido novo limite de juros do consignado para beneficiários do INSS em 1,97%:

Além da mudança no teto de juros do consignado para beneficiários do INSS, também ocorrerá uma alteração na taxa de juros do empréstimo consignado. Com a definição da nova taxa em 1,97%, espera-se uma redução significativa nos custos de empréstimos consignados para os aposentados e pensionistas do INSS.

Aqueles que têm direito ao crédito consignado agora terão um aumento em sua margem de consignação, o que lhes permitirá contratar um novo empréstimo ou refinanciar o existente, incluindo a opção de obter dinheiro de volta, com pagamentos diretos sendo feitos a partir de seus salários.

A taxa foi referendada em reunião do Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) na última terça-feira, 28/3. Durante o encontro, também foi definido que o limite de juros para a modalidade de cartão de crédito ficará em 2,89%.

Aposentados e servidores públicos endividados

O ministro do Trabalho e Previdência, Carlos Lupi, baseou a proposta encaminhada pelo Governo Federal em estudos realizados pelos ministérios, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. “Levantamos a discussão sobre algo que estava obscuro e jogamos luz. A partir desse princípio, tivemos várias reuniões com equipes do governo para definir a taxa”, comentou o ministro do Trabalho e Previdência.

Para Lupi, o compromisso público é aprofundar o papel dos consignados e lutar pelos milhões de brasileiros que integram a parte mais vulnerável e ajudaram a construir o país. Com essas mudanças, é importante que os beneficiários do INSS fiquem atentos às melhores opções de empréstimo e contem com empresas comprometidas em oferecer as melhores condições de crédito.

 

 

Fonte: Divulgação
Fotos: Divulgação
Leia ainda: Bárbara Paz ressignifica suas cicatrizes

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui